Ervas Naturais

Aproximando a Natureza

Vinagreira

Posted by Erva e Plantas Naturais em 10 de Abril de 2011


NOME CIENTÍFICO 

Hibiscus sabdariffa L. var. edulis

FAMÍLIA BOTÂNICA

Malvaceae

SINONÍMIA

Azedinha, azeda-da-guiné, carurú-azedo, carurú-da-guiné, quiabo-azedo, quiabo-de-angola, quiabo-róseo, quiabo-roxo, rosela.

HABITAT

Planta alóctone originária da África oriental tropical.

FITOLOGIA

Arbusto anual, autógomo. Apresenta caule avermelhado, glabro, ramoso e cresce 1,5 a 1,8m de altura. As folhas são alternas, longo-pecioladas, avermelhadas, sendo as inferiores inteiras e ovadas e as superiores profundamente 3 a 5 palmati-lobadas (lobos estreitos), 5-nervadas, de lobos agudos, denteados, com uma grande glândula na base da nervura mediana. Flores solitárias, sésseis, axilares, de andróforo avermelhado. Pétalas de 4 a 5cm, róseas, com mácula mais escura na base do pedúnculo também vermelho. Cálice vermelho e muito carnoso, com cerca de 1,5 a 2,0cm. Fruto tipo cápsula, vermelho-escuro, 5-locular, cônico-ovóide e estrigoso.

SOLO

Profundos, drenados e com bom teor de matéria orgânica.

CLIMA

A planta requer uma distribuição de chuva entre 800 a 1.600mm e temperaturas de 18 a 35oC. A planta é regulada pelo fotoperíodo, que afeta sobremaneira a reprodução.

AGROLOGIA

  • Espaçamento : 1,2 x 1,0m.
  • Propagação: sementes e estacas de ramos despidos das folhas. Semear em bandejas de isopor de células grandes contendo substrato organo-mineral. As estacas podem ser enraizadas em vermiculita.
  • Plantio: deve ser feito em fotoperíodo crescente e no início da estação das chuvas.
  • Adubação: 1kg/planta de cama de aviário associada a 50g/planta de superfosfato triplo.
  • Doenças: A planta é sensível ao fungo Rizoctonia sp. e resistente aos nematódeos e à antracnose.
  • Florescimento: abril a junho.
  • Colheita: 1 ano após o plantio.
  • Produção de sementes:  a maturação do fruto e colheita de sementes ocorre em julho. As sementes estão no ponto de maturação completa quando o fruto capsular encontra-se seco e iniciando a deiscência.

FITOQUÍMICA

Ácido oxálico, oxalato de potássio e (9). O fruto contém 86,5 % de água, 2,1% de proteínas, 0,3% de lipídeos, 10,3% de carboidratos, 0,8% de cinzas e gossipetina, que é um pigmento (93).

PARTES UTILIZADAS

Folhas, frutos e raízes.

PROPRIEDADES ETNOTERAPÊUTICAS

As folhas são resolutivas (cataplasma) antiescorbútica, estomáquica, diurética e emoliente (9; 257), antiinflamatória (128) e febrífuga. As sementes são diuréticas, tônicas e afrodisíacas. A raiz é aperitiva, amarga e tônica (93).

INDICAÇÕES

Para o tratamento de hemorragias e aumento da resistência orgânica (128).

OUTRAS PROPRIEDADES

  • O fruto é alimentar, prestando ao preparo de geléias, marmeladas, vinhos (vinho de rosela), xaropes e vinagres.
  • As folhas são consumidas, sob prévia cocção, na forma de salada, enquanto que as sementes são consumidas torradas, e são diuréticas, tônicas e afrodisíacas.
  • As fibras dos caules são utilizados no ramo têxtil. De 147kg de hastes são obtidas 900g de fibras limpas.
  • O suco coagula látex de plantas fornecedoras de borracha.
  • As folhas, após decocção são comestíveis e utilizadas como tempero.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: