Ervas Naturais

Aproximando a Natureza

Tiririca

Posted by Erva e Plantas Naturais em 10 de Abril de 2011


NOME CIENTÍFICO: Cyperus rotundus L.  

FAMÍLIA BOTÂNICA: Cyperaceae.

SINONÍMIA

Capim-dandá, cebolinha, erva-côco, junça-aromática, tiririca-comum.

HABITAT

Planta alóctone mundialmente adaptada a todos os ambientes terrestres, sobretudo áreas ruderais.

FITOLOGIA

Planta herbácea vivaz, glabra, que cresce de 20 a 30cm de altura. Rizoma filiforme e tuberoso, entumecido a cada segmento, formando tubérculos tenros, castanho-avermelhados ou escuros, ovóides-oblongos, brancos internamente, resinosos, friáveis, esponjosos, de sabor amargo e doce-aromático. Caule delgado e tríquetro. As folhas são longas, quase filiformes, com cerca de 30 a 50cm de comprimento por 2 a 4mm de largura, carenadas e  numerosas. Inflorescência formada por 4 a 6 espigas desiguais, radiando de uma haste delicada, triangular e púrpura. Espiguetas pardo-avermelhadas, lineares, dispostas em fascículos umbeliformes curtos, com eixo alado. O fruto é um aquênio 3-angular, acizentado.

CLIMA

Adapta-se as mais variadas condições climáticas. Durante o inverno a planta não se desenvolve. É heliófita.

SOLO

Desenvolve-se nos mais diferentes tipos de solo, mas tem preferência por solos férteis, revolvidos e areno-argilosos.

AGROLOGIA

  • Ambiente: por ser uma planta muito rústica e infestante, o seu cultivo deverá ser feito em áreas marginais e isoladas.
  • Espaçamento: 0,2 x 0,10m.
  • Propagação: sementes e tubérculos.
  • Plantio: outubro. Para facilitar a colheita dos tubérculos, fazer o plantio sobre camalhões.
  • Capação: todos os pendões florais devem ser eliminados no início de seu desenvolvimento para não disseminarem a semente para outras áreas.
  • Herbicidas: quando se deseja coletar a tiririca em áreas inçadas, assegurar-se do não uso de herbicidas na planta.
  • Alelopatia: a planta é forte alelopata da germinação e crescimento de espécies herbáceas, sobretudo a  alface (75).
  • Colheita: é feita durante todo o ano, mas preferencialmente no verão.
  • Rendimento: 40t/ha de rizomas e tubérculos (242).

PARTES UTILIZADAS

Rizomas livres de raízes filamentosas e detritos.

FITOQUÍMICA

Essência 0,4% (40% de cetonas sesquiterpênicas – ciperona), triterpenóides, esteróis (278), amido e óleo essencial (0,5-1,2%) contendo cipereno, ciperol, a-ciperone, cineol e L-a-pineno (1).

PROPRIEDADES ETNOTERAPÊUTICAS

Balsâmica, diaforética, estimulante, adstringente, vermífuga (93), antiblenorrágica, antiinflamatória, fortificante (215), antidiarréica, emenagoga, antidispéptica (444), anti-sifilítica (271) e afrodisíaca (242).

INDICAÇÕES

Indicada para, dores abdominais, dismenorréia, gastralgia, dispepsia, náusea e vômitos (444).

FORMAS DE USO

  • 8 a12g/dia, na forma de decôcto, em tintura, pó ou em pílulas (444).

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: