Ervas Naturais

Aproximando a Natureza

Taboa

Posted by Erva e Plantas Naturais em 10 de Abril de 2011


NOME CIENTÍFICO: Typha dominguensis Persoon. 

FAMÍLIA BOTÂNICA: Thyphaceae.

SINONÍMIA

Bucha, capim-de-esteira, erva-de-esteira, espadana, landim, paina, paina-de-flecha, paineira-de-flecha, paineira-do-brejo, paneira-de-brejo, paneira-do-brejo, partasana, pau-de-lagoa, tabebuia, taboinha, tabu, tabua, tabuca, tifa, totora.

HABITAT

Espécie autóctone da América Latina, palustre e lacustre, que cresce espontaneamente em várzeas alagadas, brejos, represas, canais de drenagem e áreas uliginosas em geral. É característica e exclusiva da Floresta Pluvial da Encosta Atlântica (343).

FITOLOGIA

Planta herbácea paludosa, perene, de rizoma rasteiro, brancos, esponjosos e macios. Haste floral ereta, cilíndrica, glabra, verde, com cerca de 1,5 a 3m de altura. Folhas invaginantes na base da planta, longo-lineares, com 1 a 1,7m de comprimento por 2 a 3cm de largura, acuminadas, coriáceas, glabras, lisas, grossas e esponjosas internamente. Flores dispostas em densos e condensados rácimos espiciformes cilíndricos, apicais, de coloração avermelhado-castanho. Espiga masculina mais fina e disposta separadamente e acima da feminina, na mesma haste floral. A inflorescência feminina, de formato cilíndrico, lembra um grande charuto de coloração castanho-avermelhada, medindo 10 a 20cm de comprimento e 2cm de diâmetro. Uma inflorescência feminina pode reunir até 200.000 flores (209). Fruto filamentoso. O pólen, usado como fitoterápico, assemelha-se a um fino pó dourado.

CLIMA

Vegeta em regiões tropicais e temperadas. É heliófita e higrófita seletiva.

SOLO

Vegeta desde em solos arenosos, turfosos até argilosos, com pH variando de 4,8 a 8,1. Porém prefere solos com alto teor de matéria orgânica, pH 6,0 a 8,0 e nível de água de 15 a 40cm. É tolerante a salinidade (199).

AGROLOGIA

  • Espaçamento : 0,7 x 0,4m.
  • Propagação: sementes e segmentos de rizomas. As sementes podem ser postas a germinar em recipientes com água ou em substrato encharcado. Os rizomas são plantados diretamente a campo.
  • Plantio: primavera.
  • Consórcio: Pistia stratiotes ou Acorus calamus.
  • Florescimento: a partir do segundo ano após o plantio, de agosto a fevereiro.
  • Colheita: inicia a partir do segundo ano de cultivo.
  • Produção: até 7.000kg/ha de rizomas (209), permitindo quatro cortes de folhas ao ano.

PARTES UTILIZADAS

Rizoma e pólen seco.

PROPRIEDADES ETNOTERAPÊUTICAS

Adstringente, diurética, antidiarréica, antidisentérica, antiinflamatória, antianêmica, emoliente e tônica (68).

INDICAÇÕES

Indicada para o tratamento de aftas e inflamações dérmicas (uso externo), dismenorréia, dores abdominais durante o puerpério, dores estomacais, contusões e luxações, hemoptises, sangramento nasal, hematuria, hemorragia uterina funcional  (445), afecções das vias urinárias e debilidade geral (68).

FORMAS DE USO

  • Geral: 5 a 10g/dia (445).
  • Decocção: ferver 1 a 2 colheres das de chá do rizoma para 1 xícara de água. Tomar 4 a 6 xícaras ao dia. A aplicação do decôcto na forma de compressas e abluções atua como emoliente e tônico (68).

OUTRAS PROPRIEDADES

  • A planta é depuradora de água poluídas (68), absorvendo metais pesados, inclusive cobre.
  • Os brotos novos podem ser ingeridos crus ou cozidos, sendo conhecidos como aspargo dos cossacos.
  • Os rizomas cozidos são comestíveis, encerrando proteínas (teor semelhante aos grão de milho) e cerca de 45% de amido. O amido, previamente processado, dá origem a um polvilho comestível.
  • Os brotos novos são alimento de alguns peixes, sobretudo a tilápia.
  • As fibras da planta dão origem a um papel muito resistente, embora difícil de branquear.
  • A planta pode ser matéria prima para a obtenção de gás metano. Com um hectare de tabôa pode-se produzir cerca de 605 milhões de BTU por ano.
  • As folhas são utilizadas para a confecção de esteiras e artesanato trançado.
  • O pólen é inflamável e sucedâneo do licopódio em pirotecnia.
  • Grandes aglomerados de tabôa predispõem à proliferação de mosquitos (209).
  • Os filamentos (painas) são utilizados para o enchimento de almofadas e travesseiros.
  • O rizoma é utilizado, na Austrália, para o preparo de bolos doces muito apreciados (93).

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: