Ervas Naturais

Aproximando a Natureza

Salsaparrilha

Posted by Erva e Plantas Naturais em 10 de Abril de 2011


NOME CIENTÍFICO 

Smilax spp. (Smilax campestris Griseb., Smilax japecanga Griseb., Smilax spinosa, etc.)

FAMÍLIA BOTÂNICA: Smilacaceae.

SINONÍMIA

Esporão-de-galo, inhapecanga, inhapicanga, japecanga, japecanga-verdadeira, japicanga, jupicanga, nhupicanga, raiz-da-china, salsa-americana, salsa-cerca-onça, salsa-de-espinho, salsa-do-campo, salsa-japecanga, sarsaparrilha, sarza, zarza.

HABITAT

Espécie autóctone, tropical, nativa da Mata Atlântica, encontrada com certa frequência no Litoral Catarinense. Cresce espontaneamente em áreas umbrosas, em solos úmidos  ou próximo de cursos de água. Também encontrada em matas secundárias, desde que haja boa cobertura de copa de árvores.

FITOLOGIA

Planta trepadeira ou prostrada,  perene, de caule cilíndrico e com poucos espinhos A planta atinge cerca de 1,5m de altura. Caule cilíndrico glabro, ornado de espinhos recurvados e  geminados, localizados nas articulações. As raízes são brancas internamente e avermelhadas externamente, formando tubérculos. O rizoma ramifica-se copiosamente e forma hastes subterrâneas prolongadas, de cor marfim, muito duras, flexíveis, que atingem alguns metros. As folhas são coriáceas, alternas, acuminadas, cordiformes na base, glabras, polimórficas, bi-seriadas, com nervuras longitudinais ligadas entre si por uma rede secundária de nervuras reticuladas. As flores são dióicas, dispostas em umbelas, localizadas nas axilas das folhas ou brácteas. Fruto tipo baga contendo três sementes. Semente um pouco achatada. O sabor das raízes é amargo, mucilaginoso e acre.

SOLO

A planta prefere solos úmidos, frescos, soltos, francos e ricos em matéria orgânica.

CLIMA

A planta é tipicamente tropical. Temperaturas altas com umidade do ar elevada, favorecem ao crescimento da planta. A planta pode ser umbrófita a heliófita, dependendo da espécie. Espécies de sombra definham quando crescem sob luz solar direta, tornando-se clorótica e com crescimento retardado.

AGROLOGIA

  • Espaçamento: 2 x 2m.
  • Propagação: sementes, mergulhia, estaquia ou rebento. Semear em saquinhos plásticos perfurados contendo substrato organo-mineral. Tanto o rebento como as estacas obtidas de mergulhia ou da cepa, devem ser aclimatados em viveiros com sombrite 70 % de sombra e enraizados em substrato organo-mineral.
  • Plantio: primavera.
  • Adubação: 1,0kg/planta de composto orgânico, adicionado de 100g de fosfato natural.
  • Tutoramento: para melhor condução da planta, faz-se necessário um tutoramento vertical ou horizontal. Poderão ser utilizados tutores vivos, tais como árvores de raízes axiais e tronco fino e não muito liso.
  • Colheita: ocorre após 2 a 3 anos de cultivo. As raízes  atingem cerca de 2m de comprimento, com um diâmetro de 3 a 5mm. As raízes são colhidas sem que ocorra danos ao rizoma.
  • Rendimento: até 8kg de raízes por planta (182).

PARTES UTILIZADAS

Raízes compridas e flexíveis que crescem do rizoma.

FITOQUÍMICA

Glicídeos, esteróides, colina, saponosídeos, tanino, sais minerais, amido, resina acre, essência, sitosterol, estigmasterol (182). Ocasionalmente são encontrados flavonóides (130). Recentemente tem sido descrita a existência de derivados do ácido glutâmico, colina e acetilcolina (379). Em geral, as salsaparrilhas contém três saponinas: salsaponina, perilina e esmilasaponina, além disso féculas e uma essência (154).

PROPRIEDADES ETNOTERAPÊUTICAS

Expectorante, antileprosa, emoliente, depurativa do sangue, diurética (283), sudorífica, anti-reumática (32), febrífuga, antiartrítica (68), anti-sifilítica (215), estimulante digestivo e do metabolismo em geral e desintoxicante (1).

INDICAÇÕES

Utilizada para doenças de pele (257), eczema, úlceras (215), exantemas, gota, enfermidades venéreas (32), ácido úrico, nefrite, cistite (68), diarréia, flatulência, linfadenopatia, furúnculos, impotência e abcessos (1; 444).

FORMAS DE USO

  • 15 a 20g/dia, em decocção (444).

TOXICOLOGIA

É irritante para as mucosas (283).

OUTRAS PROPRIEDADES

  • As raízes desidratadas apresentam um aroma agradável pouco pronunciado e sabor amargo e amargo.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: